POEMA SABOR DE CARINHO

SABOR DE CARINHO
Walter Pereira Pimentel

Encontrar o amor,
Será que alguém quer?
Claro! Eu, você, todos enfim,
Seja homem, seja mulher!
Mas o amor não nasce sozinho
Precisa sempre de uma “mãozinha”
Coração fértil…Sorriso aberto… mente pura…

Pobre daquele que na vida
Não teve a ventura
De encontrá-lo em seu caminho
Com certeza a desilusão, amargou
Tal qual uma planta que não floresceu
Não deu frutos, estorricou
Vegetou e morreu,

 Assim também acontece
Com quem o amor não viveu.
Como  não nasce sozinho
Plantemos pois, do amor,  a semente
E teremos uma árvore bela e frondosa,
De onde colheremos frutas deliciosas
Com cheiro e sabor de carinho!

 


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: